02
jul 11

Robótica e Computação nas Nuvens

Aí estão os arquivos da palestra que eu fiz no FISL 12 e no TDC 2011 sobre Arduino, Robótica e Computação nas Nuvens.

Update: também apresentei no CEFET Summer of Code em 29/07 😉

Abaixo da apresentação estão os fontes dos projetos que eu criei para demonstrar o uso do Google App Engine e o Arduino.

Vídeo do braço robô em ação

http://www.youtube.com/watch?v=3xjVs3T-rpk

Projeto web

Criado com criado com Google App Engine
Projeto Eclipse: Clouduino.zip
Usa o plugin do Google App Engine para eclipse.

Programa local

Programa que roda localmente e lê as informações da aplicação web..
Projeto Netbeans: ClouduinoLocal.zip
Usa a lib Jettison 1.2 para ajudar no parse do JSON.

Programa Arduino

Lê a porta serial e executa o comando enviado.

#include

Servo myservo1;
Servo myservo2;
Servo myservo3;

int pinServo1 = 10;
int pinServo2 = 11;
int pinServo3 = 9;
int velocidade = 5;
int pos;
int entrada;

void setup()
{
  myservo1.attach(pinServo1);
  myservo2.attach(pinServo2);
  myservo3.attach(pinServo3);

  myservo1.write(180);
  myservo2.write(0);
  myservo3.write(90);

  Serial.begin(9600);
}

void loop()
{
  if (Serial.available() > 0) {
    while (Serial.available()>0) {
      entrada = Serial.read();
      Serial.print(entrada);
      delay(1);
    }
      if (entrada == '1'){
  	sobe();
      } else if (entrada == '2'){
  	desce();
      } else if (entrada == '3'){
  	esquerda();
      } else if (entrada == '4'){
  	direita();
      } else if (entrada == '5'){
  	abre();
      } else if (entrada == '6'){
          fecha();
      } else {

      }
  }
}
void desce(){
   for(pos = 0; pos < 180; pos += velocidade) {                                          	       myservo1.write(pos);         	       delay(10);                                }    }    void sobe(){          for(pos = 180; pos>=1; pos-= velocidade) {
     myservo1.write(pos);
     delay(10);
  }
}
void esquerda(){
  for(pos = 0; pos < 180; pos += velocidade) {                                          	     myservo2.write(pos);         	     delay(10);                               }    }    void direita(){       for(pos = 180; pos>=1; pos-= velocidade) {
    myservo2.write(pos);
    delay(10);
  }
}
void abre(){
  for(pos = 0; pos < 90; pos += velocidade) {                                          	      myservo3.write(pos);         	      delay(10);                               }    }    void fecha(){           for(pos = 90; pos>=1; pos-= velocidade) {
       myservo3.write(pos);
       delay(10);
  }
}



30
maio 11

FISL 12: Eu vou palestrar uhuuuu

FISL 12… Eu vou palestrar, uhuuuuu !!!!

Eu fiquei muito feliz quando recebi a notícia que minha submissão para o FISL 12 foi aceita. Muito feliz mesmo!

É a primeira vez que palestro em um evento internacional do porte do FISL.

A palestra aprovada pela galera foi:

Robótica e Computação nas Nuvens: Unindo os dois mundos.

Resumo:

Robótica e Computação na Nuvem são os dois temas cada vez mais recorrentes no mundo do desenvolvimento de soluções. Agora podem ser usados juntos para simplificar a vida das pessoas. Nessa palestra mostrarei como é possível, e viável, a qualquer desenvolvedor criar soluções completas e produtos para robótica, automação, domótica e internet com custos baixos, usando recursos de software e hardware open-source disponíveis para todos, mas que nem sempre são usados juntos como solução.

Proposta:

A proposta é demonstrar o uso do Google App Engine como plataforma de integração com soluções de eletrônica e automação criadas com o Arduino. As duas plataformas são open-source (software e hardware), e podem ser utilizadas por qualquer desenvolvedor para criar protótipos ou até mesmo desenvolver soluções de baixo custo inicial que podem ser facilmente mantidas e escaladas. Apresentarei brevemente o potencial das duas plataformas e logo após demonstrarei uma solução de automação controlada pela internet que as utiliza de forma integrada. Imagine: programação, eletrônica, internet e robótica. Juntos! Para finalizar demonstrarei como dar os primeiros passos no estudo e desenvolvimento dessas tecnologias, e falar das comunidades e das oportunidades de um mercado que pode ser explorado por um profissional com esse conhecimento, como programação, automação, domótica, ensino, etc..

Bom! Agora é me preparar… E BEM!!!

Eu já estou nervoso agora, imagina no dia :/

Me desejem sorte.

Abs, Marco.

 

UPDATE:

Já tenho a programação da minha palestra. As palestras serão transmitidas via web, compareçam 😉

Robótica e Computação nas Nuvens: Unindo os dois mundos.
Sala: Prédio 11 – Auditório
Dia: 02/07/2011
Horário: 11h00

Grade completa aqui: http://fisl.org.br/12/papers_ng/public/fast_grid?event_id=1


27
fev 11

Controlando motor DC com Ponte H (L293D) com arduino via porta serial

Preparei esse post para documentar um teste que eu fiz com CI L293D (Ponte H) para controlar um motor DC com arduino, mandando comandos pela porta serial do computador.

O L293D é uma ponte H dupla, isto é, controla até dois motores e faz com que estes rodem nas duas direções. Mas para esse teste eu usei apenas um motor. 😉

Os motores DC são motores de corrente contínua utilizados em brinquedos e pequenos dispositivos, e funcionam a pilha ou baterias. O bom desse tipo de motores é que são muito baratos. Mais em conta que servo-motores, e são facilmente encontrados em brinquedos. Então qualquer brinquedinho velho que tenha motor e funcione a pilha (ou bateria) tem um motor DC dentro. Basta abrir e retirar. 😀 Claro, claro. Espere o brinquedinho do seu filho quebrar, né. Ou ele perder o interesse e não se lembrar mais daquele carrinho 😉

Mas se seu filho não larga do carrinho ou sua filha não desgruda da boneca, não se incomode. Qualquer boa loja de 1,99 tem vários brinquedinhos legais bem baratinhos prontos para desmontar.

Aí você pode me perguntar. — Porque não comprar logo motores DC em uma loja de eletrônica? É uma ótima opção se você sabe o quer fazer, esse não é o meu caso.

Eu estou fazendo várias experiências e não sei bem o que vou precisar. Sendo assim um brinquedo desses me facilita muito a vida. Os motores DC tem um giro muito alto, e os carrinhos têm sempre caixas de redução com engrenagens para fazer com que os motores entreguem mais força e menos velocidade. Outra coisa boa são as rodas.

Por exemplo: Com R$ 25,00 eu comprei dois carrinhos no supermercado Extra. Com esse valor consegui quatro motores DC, duas caixas de redução para os motores, dois compartimentos para três pilhas, dois eixos para fazer curvas (não sei o nome disso :/ ), oito rodas de borracha de bom tamanho, e mais um monte de componentes eletrônicos que posso reaproveitar. Foi ou não, um bom negócio?

O maior problema de um motor DC é fazê-lo girar para os dois lados. Para isso se usam pontes H. Nos carrinhos elas vem todas soldadas junto com gambiarras chinesas. Não dá para usar. Então temos basicamente duas opções: Construir uma ponte H na unha com transistores e diodos de protecção, e fazer várias ligações, bla bla bla o que é bem complicado. Ou usar um CI que já é uma ponte H completinha, pronta pra uso. Como eu sou um grande preguiçoso escolhi usar o CI L293D que é bem barato (no eBay é ainda mais barato). O L293D dispensa o uso de diodos para tensão reversa dos motores. Basta ligar aos motores. Show!

Eu segui esse tutorial do site Makebits. Tinha pensado em fazer um parecido nesse post, mas o deles está realmente bem explicado. Nada a melhorar.

Vale ressaltar que o circuito só funciona bem com o arduino ligado a uma fonte externa de alimentação. Se estiver ligado somente pela alimentação via USB o motor não gira bem, ou o programa não funciona corretamente. Eu usei uma bateria de 9v.

Para testar o circuito eu fiz um programa para fazer o motor girar para a esquerda e para direita quando eu digitasse no teclado “d” e “e”, respectivamente. Qualquer outra letra faz o motor para de girar.

Eu gravei o motor em ação com a colaboração da minha filhota Gabriela. Ela explica tudo direitinho. Tá! Eu sou babão mesmo, eu sei :p

Segue o programa:

int motorPin1 = 5;
int motorPin2 = 6;
int entrada = 0;

void setup() {
 Serial.begin(9600);
 pinMode(motorPin1, OUTPUT);
 pinMode(motorPin2, OUTPUT);
}

void loop() {

 // testa se a porta serial está disponível
 if (Serial.available() > 0) {
 // le os dados da porta serial armazena na variavel 'entrada'
 entrada = Serial.read();
 if (entrada == 'e'){
 esquerda();

 } else if (entrada == 'd'){
 direita();

 } else {
 parar();

 }
 }
}

void esquerda(){
 digitalWrite(motorPin1, 1);   // Motor para a esquerda
 digitalWrite(motorPin2, 0);   //
}

void direita(){
 digitalWrite(motorPin1, 0);   // Motor para a esquerda
 digitalWrite(motorPin2, 1);   //
}

void parar(){
 digitalWrite(motorPin1, 0);   // para o motor
 digitalWrite(motorPin2, 0);   //
} 

Bom é isso. Quando fizer o teste com dois motores eu faço outro post.

Espero que esse post tenha sido útil.

Abs.


28
maio 10

Program-ME vs Arduino – Fight!

A idéia de fazer esse post surgiu a partir de uma pergunta no forum da comunidade do Program-ME no Ning. Um companheiro queria saber a diferença entre um Arduino padrão e o Program-ME antes de investir em um produto.

Nosso companheiro José Luiz respondeu muito bem a dúvida, mas achei que a resposta merecia um complemento. Decidi então dar meus 10 centavos, e dei a opinião de quem está começando nessa cachaça de eletrônica 😉 e encontrou no Program-ME um dispositivo pronto pra briga. Minha resposta foi mais ou menos assim:

Posso te afirmar que isso tudo de bom que o Luiz escreveu para mim se resume em uma coisa: Muita coisa pronta para colocar a mão na massa 😉

Já fiz vários testes e brincadeiras só com o Program-ME. Sem precisar comprar nenhum componente extra.

Daí me veio a idéia de comparar os dois produtos em alguns testes básicos. Existem muitos tutoriais de como testar o Arduino com LED, PWM, LDR e outras coisas. Todos também se aplicam ao Program-ME, já que ele é 100% compatível com o Arduino. Mas a diferença que o produto da Globalcode foi pensado para ser o mais didático e fácil possível no ensino da computação física e na criação de experimentos em eletrônica. Então vamos ao que interessa.

Usando LDR

Nesse primeiro FIGHT eu vou comparar os dois dispositivos numa implementação usando um LDR.

Como eu não tenho um Arduino eu decidi colocar aqui um post bem didático do blog do Andre, que demonstra como usar o Arduino com um LDR. O post está bem legal. Muito bem explicado. Possui a lista de materiais necessários, detalhes do circuito que será criado, o programa para executar o teste, e como fazer o upload do programa e executar o teste. Show de bola! Mas percebam a quantidade de coisas que devem ser feitas para o programa funcionar.

O programa (abaixo) foi bem comentado pelo autor, e basicamente acende ou apaga o LED, se o LDR receber pouca ou mais luz, respectivamente (linhas 17 a 21).

/*# PROGRAMA ELABORADO POR ANDRED. #*/

int valor = 0;    // Variavel onde e guardado o valor lido do LDR
int led_pin = 13;  // Pino onde vamos ligar o LED
int analogin = 5; // Pino onde vamos ligar a LDR

void setup(){
  Serial.begin(9600); // Inicia A comunicação da porta Serial para que possamos ver o valor do LDR
}

void loop(){
  valor = analogRead(analogin); // O valor que irá ser lido na porta analogica numero 6 irá ser guardado na variavel “valor”
  Serial.print("O valor Da LDR e igual a: ");  // Mostrar na consola a frase “O valor Da LDR e igual a: “
  Serial.println(valor); // Mostras no Serial Monitor o valor da variavel “valor”
  delay(25); // Faz uma pequena pausa de 25 Mili Segundos

  if (valor < 300) { // Se a variavel valor for menor que 300
    digitalWrite(led_pin, HIGH); // acende o led da porta 8
  } else {
    digitalWrite(led_pin, LOW);
  } // se for maior mantem o led da porta 8 apagado

}

Agora pergunto. E se você não tem toda a lista de materiais e está doido para brincar? Quanto tempo ele gastou para finalizar esse experimento só para ver se o programa funcionava? Ou outro impeditivo qualquer. No caso do Arduino você terá, quase que necessáriamente, que seguir os passos que o André indicou, pois essas são as etapas básicas para brincar com Arduíno + LDR.

Agooooora, se você tem um Program-ME faça assim:

Viram a diferença?

Usando o Program-ME eu concluí o mesmo teste em menos de 1 minuto.

Eu só precisei fazer o upload do programa dele para o Program-ME e pronto. A plaquinha vem preparada para a batalha!! Já vem com 9 leds, 1 speaker, 2 entradas para conectar servo motores, 2 entradas para conectar pontenciometros, sensores de distância analógicos, 1 botão, e o já conhecido sensor de luminosidade (LDR), e etc..

Isso facilita muito, pois tudo já está soldado e testado, e economiza nossa grana e nosso tempo, pois já está comprado e nenhum investimento adicioal é necessário.

Claro que se vamos criar nosso próprios projetos e inventar trapizongas, então mexer com solda, protoboard, e etc é necessário, e até muito legal 😉 Mas eu acho muito legal poder fazer vários testes e brincadeiras (principalmente para estudar a linguagem de programação) sem precisar estar à volta com fios, solda, e outras coisas só para fazer uma brincadeirinha.

Program-ME WINS

Não quero dizer que o Program-ME é melhor que “x” ou “y”, até porque não ganho comissão, nem nada. Essa é a opinião de uma pessoal que encontrou tudo que precisava em um produto, e até agora está muito satisfeita com tudo. A qualidade do dispositivo é excelente e o atendimento da GC é ótimo.

Vou tentar colocar mais alguns “fights” entre os dois dispositivos mais para frente, mas para começar tá bom.

Fico por aqui.

Abs.


03
abr 10

Começando no mundo da eletrônica – Arduíno / Program-ME

Desde muito novo sempre me interessei por eletrônica e automação. Talvez seja por influência do meu pai, que é engenheiro, e sempre criava várias “trapizongas” para eu brincar. Nunca esqueço do dia em que ele fez uma lancha para eu brincar na piscina com um motorzinho, uma sandália de dedos velha e um pedaço de madeira. A hélice era feita com tubo de pasta de dentes (naquela época os tubos eram de metal… faz tempo 😉 ). Essa engenhoca e outras, e alguns aparatos que ele trazia do trabalho, sempre me fascinaram.
Por outro lado eu sempre gostei muito de computadores e programação, então na época de escolher uma profissão decidi estudar informática. Deixei a eletrônica de lado, mas nunca me esqueci desse meu desejo.

Conhecendo o Arduino

Ano passado “navegando” pela internet me deparei como projeto Arduino, que é uma plataforma open-source para criação de protótipos eletrônicos, criado por um professor italiano chamado Massimo Banzi. O objetivo de Banzi era incentivar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre as pessoas e os computadores. Uma grande idéia!

O mundo Arduino é GIGANTE e fascinante. Tem tudo para quem gosta de eletrônica e possibilita uma infinidade de projetos. Do mais simples (para os iniciantes – meu caso), até o mais complexo (para os profissionais).

Através de suas características é possível integrá-lo com diversos dispositivos, como display LCD, sensores de luz, GPS, motores (DC, de passo, servos), leds, e por aí vai. É possível criar projetos de robôs, automação residencial, arte tecnológica, ensino e educação, e até mesmo integrá-lo com iPhone, celulares, Sun Spot, etc..

A linguagem de programação padrão é essencialmente C/C++, e sua IDE para desenvolvimento é feita em Java. Então podemos desenvolver para Arduino em qualquer plataforma. E funciona sem problemas. Não é uma IDE maravilhosa, e tal, mas é boa para o que se propõe.

Program-ME

Como todo o projeto do Arduino (hardware e software) seguem padrões open-source, existem vários fabricantes de modelos Arduino-Like em todo o mundo. No Brasil temos alguns modelos de Arduino, como: Tatuino, Severino, Modelixino, e o Program-ME da Globalcode. Esse último foi o meu escolhido para começar a brincadeira.

O Program-ME é ideal para mim, que estou iniciando, pois tem vários facilitadores já embutidos nele, por exemplo os leds, speaker, sensor de luz, etc.. Não é necessário comprar e ligar leds à plaquinha para começar a fazer umas brincaderiras, pois o Program-Me já vem com 9 delas. Bom, né?

Program-ME é:

  • Um instrumento didático criado originalmente para a Academia do Programador da Globalcode que pode ser utilizado por qualquer pessoa que queira aprender sobre Robótica, Eletrônica, Automação Residencial, Tecnologia aplicada à arte e mil outras coisas;
  • É um dispositivo de hardware baseado em Arduino, que também é aberto!
  • Tem leds, potenciômetro, sensores e outros componentes;
  • Você poderá comprar um Program-Me pronto na Globalcode ou simplesmente baixar a especificação, ir até à Santa Efigênia (ou similar) e montar o seu;
  • Tem como objetivo democratizar o conhecimento sobre eletrônica + programação + internet;
  • Utilizado para incentivar o desenvolvimento da computação física e comunidade Arduino no Brasil;

Sou fã do pessoal da Globalcode a muito tempo (eles são referência no mundo Java), e eles não decepcionaram.

Comprei um Program-ME e veio completinho. Chegou numa caixinha super bacana, com o cabo USB para comunicação e um manual de instruções encadernado. Parabéns a toda a equipe da Globalcode. O material é de primeira, e o atendimento foi super atencioso e prestativos. Recomendo!

AH! Eles também criaram um blog (Elétron Livre) para divulgar as novidades do projeto, e uma rede social no Ning (Globalcode Program-ME) para o pessoal colaborar, tirar dúvidas e divulgar seus projetos.  Show de bola!!!

Já estou brincando com ele e pretendo ir colocando minhas brincadeiras por aqui. Já tenho algumas idéias e vou tentar realizá-las com a ajuda do Program-ME. Esperem pra ver. rsrsrsr

Como diz manual do Program-ME:

Arduino é simples, fácil de programar e barato. Motivos mais que suficientes para fazer uma comunidade crescente no mundo todo.

Acho que agora eu realizo meu sonho!!! \o/